A gravidade é uma das quatro forças fundamentais da natureza. Através dela nos mantemos no espaço e em contato com o chão. O que a maioria de nós não paramos para pensar é que somos seres humanos compostos por ossos, músculos, vísceras (órgãos internos), e uma série de outras estruturas que constituem o nosso organismo.

Já parou para pensar sobre tamanha dificuldade que o nosso corpo tem para manter tudo isso em plena ordem? Sobre a força que a gravidade tem sobre nós querendo nos “derrubar” diariamente, freqüentemente a todo o instante? E o que fazemos para evitar ou retardar este efeito inevitável?

Por isso, manter-se ativo, preocupar-se com uma boa postura e um bom alinhamento corporal é fundamental, pois temos, por força da natureza, a alção gravitacional agindo sobre o nosso corpo e, se não mantermos uma relação equilibrada e harmônica com ela, seremos vencidos e derrubados.

O pilates, por promover uma atividade muscular ativa visando a reeducação pastoral, além de centenas de outros objetivos e benefícios, é uma importante ferramenta que temos para vencermos esta luta diariamente. Além de força, equilíbrio, reeducação e alívio de dores normalmente causadas por um desalinhamento postural, o método pilates nos proporciona a consciência corporal para que possamos, entre outros benefícios, nos corrigirmos e agirmos fisicamente de forma consciente e correta contra as pertubações físicas e motoras que estamos expostos.

De acordo com a Dr. Ida Rolf: “Alguns indivíduos podem perceber que estão perdendo a luta com a gravidade por uma dor aguda nas costas; outros pelo contorno desajeitado de seu corpo; outros por uma fadiga constante e ainda outros por sentirem o ambiente externo como muito ameaçador. Aqueles com mais de 40 anos podem achar que é a idade. Porém, todos esses sinais podem estar apontando para um só problema, tão proeminente e constante em suas estruturas, que passa despercebido: eles estão em desequilíbrio. Estão em guerra com a gravidade”.

A semana tem 168 horas, quantas horas você dedica ao seu corpo para mantê-lo ativo, equilibrado e saudável? Pense nisso.

Por: Fisioterapeuta Thiago Amaro