A Ginástica Hipopressiva é um método que trabalha respiração e postura. Nasceu na Europa, em países como Bélgica e França e foi idealizado pelo Fisioterapeuta Marcelo Craufiez. No Brasil, o método ainda é pouco conhecido pela população, sendo sua indicação maior para reabilitação de incontinência urinária e reeducação postural.

O método consiste em exercícios que trabalham basicamente a respiração e a postura. Eles são realizados de maneira com que se diminua a pressão intra-abdominal, assim protegem, fortalece e estimulam os músculos do assoalho pélvico, evitando dores lombares, constipações intestinais e pubalgias.

O objetivo principal da Ginástica Hipopressiva é restabelecer a anatomia pélvica, melhora funcional do abdome e do períneo (músculo do assoalho pélvico). Mas, com a prática, foram se observando efeitos estéticos na definição do abdome e melhora da função gastrointestinal, principalmente em casos de constipação.

Os exercícios devem ser feitos em pequenas séries, três vezes por semana. Inicialmente devem ser realizados duas vezes na semana no consultório do fisioterapeuta e uma vez em casa. Mais familiarizado com o método, passa-se a praticar duas vezes por semana em casa e uma vez no consultório.
Sendo realizado corretamente os movimentos, o resultado aparece cerca de três meses.

O exercício abdominal comumente realizado para o fortalecimento dos músculos dessa região favorece o aumento da pressão intra-abdominal e, com isso, há um aumento da sobrecarga no períneo e na coluna. A ginástica hipopressiva, por sua vez, auxilia no maior controle dos diferentes músculos abdominais, uma vez que estimula mais percepção da região abdominal e de seus órgãos. Os resultados, porém, ficam restritos à capacidade do praticante de realizar corretamente as séries, uma vez que essas exigem muita concentração e consciência corporal.

Por: Fisioterapeuta Tamires Borges