Em décadas passadas, as gestantes eram aconselhadas a reduzirem suas atividades e interromperem até mesmo, o trabalho ocupacional, especialmente durante os estágios finais da gestação, acreditando-se que o exercício aumentaria o risco de trabalho de parto prematuro por meio da estimulação uterina.

No entanto, em meados da década de 90, foi reconhecido que a prática da atividade física regular no período gestacional deveria ser desenvolvida, desde que a gestação não apresentasse riscos.

Indicado para este grupo de mulheres, o método Pilates pode ajudar muito as futuras mamães no pré e pós-parto. Seus exercícios de fortalecimento e alongamento das cadeias musculares proporcionam benefícios à gestante e ao feto, como menor ganho de peso e adiposidade, e altos valores no teste de APGAR, respectivamente.

O Pilates pode ser realizado durante todo o período gestacional por mulheres que praticavam alguma atividade física anteriormente à gestação. Já as sedentárias devem começar após o primeiro trimestre para não ocorrer risco de descolamento prematuro da placenta.

A gestante deve informar ao médico sobre a prática do Pilates e deve estar liberada para realizá-lo. Além disso, é importante que o instrutor de pilates saiba que a sua praticante está grávida, assim ele poderá escolher os exercícios que possuem maiores benefícios e excluirá os que podem causar desconforto.

Exercícios que trabalham diretamente a região abdominal devem ser evitados. Esta musculatura será trabalhada de forma indireta durante a realização dos exercícios para braços e pernas e também associada à respiração utilizada no método.

Exercícios que causam muito desequilíbrio também devem ser evitados para diminuir riscos de quedas.

Já os exercícios para pernas são muito bem indicados, pois ajudam no retorno venoso e diminuem dores articulares devido ao sobrepeso. Os braços também devem ser trabalhados e ajudarão a futura mamãe nas atividades diárias pós-parto.

Muito importante também são os exercícios e os alongamentos que auxiliam na manutenção da postura. O centro de gravidade na gestante está alterado devido ao peso abdominal, alterando a postura e causando dores na coluna vertebral.

Trabalhando cuidadosamente e respeitando os limites do corpo de cada gestante, o Pilates ajudará a melhorar a capacidade física e a sensação de bem estar nas futuras mamães, aumentando a auto-imagem e a auto-estima e diminuindo situações de depressão e estresse.

Por: Isadora Dornelles
Fisioterapeuta