Lombalgia é a terminologia utilizada para designar dor na coluna lombar. O termo não é um diagnostico, pois ele descreve apenas o lugar da dor referida.
Estudos demonstram que 60% a 90% da população, preferencialmente adultos jovens sofreram, sofrem ou sofrerão algum dia de dor na coluna lombar.

No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas tornam-se incapacitados para o trabalho devido a dores na coluna lombar. A lombalgia merece destaque, pois é considerada um problema de saúde pública devido ao seu alto índice de acometimento na população e principalmente por afastar trabalhadores de suas atividades profissionais.

Entre as diversas causas que podem ocasionar a lombalgia, estão as disfunções musculares, sobrecargas, má postura e stress. Uma disfunção entre a musculatura flexora do tronco (região anterior, como os músculos abdominais) e a musculatura extensora (região posterior, eretores da espinha) que trabalham juntas para a estabilização da coluna vertebral, pode ocasionar em dores na coluna se estiverem desequilibrados em seus movimentos.

O método Pilates aplicado por fisioterapeutas, é uma alternativa bastante eficaz segundo recentes estudos na área, uma vez que este trabalha a centralização, estabilização, controle e ativação da musculatura postural do tronco, visando o equilíbrio entre a cadeia muscular flexora e extensora do mesmo, musculaturas estas, envolvidas diretamente na biomecânica da coluna lombar.

Se você sofreu ou sofre de dores na coluna lombar ou em outra região desta, ou quer preveni-la, não deixe de experimentar o método pilates. Além da reabilitação física (musculoesquelética), o método proporciona a seus praticantes saúde mental, ajudando assim, no alívio das dores físicas como a lombalgia potencializadas pelo stress do dia a dia.

Por: Thiago Amaro
Fisioterapeuta