Os benefícios do Método Pilates são amplamente conhecidos e difundidos de forma geral.

Na reabilitação de paciente com disfunções de origem neurológica não é diferente.

É possível atuar com o Pilates em diversas situações em que o objetivo seja de conquistar ganhos motores. Quem vive ou convive com alguém que apresenta essas desordens (Doença de Parkinson, Esclerose Múltipla, Acidente Vascular Cerebral – AVC e Paralisia Cerebral, por exemplo) precisam saber que esses pacientes podem se beneficiar, e muito, com a prática do Método.

O Pilates pode ajudar o paciente a recuperar a habilidade de realizar tarefas simples do dia-a-dia como banhar-se, vestir-se, subir/descer escadas, entre outras. Outra situação muito importante é a melhora na qualidade da marcha, que irá resultar em menor esforço para os deslocamentos além de prevenir a ocorrência de quedas, que é motivo de grande preocupação entre os familiares e os profissionais da área da saúde. Isso tudo é possível porque o método promove melhora na mobilidade, flexibilidade, força, coordenação motora e equilíbrio. Os exercícios são associados à respiração, exigem concentração e são realizados em poucas repetições.

A interação entre corpo e mente que acontece na prática do método favorece ao paciente perceber melhor o corpo, tornando o mesmo capaz de melhorar o seu desempenho nas atividades cotidianas buscando conquistar autonomia e independência .

“Para alcançar as mais altas realizações dentro de nossas capacidades em todos os momentos da vida, precisamos constantemente nos esforçar para adquirir corpos fortes e saudáveis e desenvolver nossas mentes até o limite de nossa habilidade” – Joseph Pilates, Return to Life

Por: Fisioterapeuta Letícia Gué Giordani